uso dos apps

Tecnologia da Informação, Internet das coisas, Smartphone, Apps estão mais presentes em nossas vidas do que pensamos. A Tecnologia nos cerca por todos os lados. Do levantar ao deitar, esbarramos com ela a todo o momento. E o brasileiro está bem familiarizado com ela.

Em uma pesquisa feita no Brasil, realizada por uma parceria entre o site de notícias Mobile Time e a empresa de soluções em pesquisas Opinion Box, observou-se que mais da metade dos entrevistados possuem smartphone há mais de 3 anos. Ou seja, o brasileiro e a tecnologia são velhos conhecidos.

Os smartphones que utilizam o sistema Android são os mais vendidos, com base na pesquisa, que aponta 89% dos entrevistados sendo usuários desse sistema. A alta utilização desse sistema é impulsionada pela grande variedade de aparelhos de diferentes marcas e com variados preços disponíveis no varejo.

Quanto se diz respeito a aplicativos, os brasileiros estão mais do que conectados. A pesquisa aponta que 97% dos entrevistados já baixaram e instalaram algum aplicativo no seu smartphone. O Brasil aparece entre os principais mercados em número de downloads no mundo, considerando tanto aplicativos de iOS quanto de Android.

Usuários do mundo inteiro estão fazendo mais downloads e gastando mais em aplicativos. Um levantamento feito pela App Annie, empresa norte-americana de dados do mercado de aplicativos mostra que a quantidade de apps baixados em 2017 superou a marca de 175 bilhões de programas, impulsionado principalmente por mercados emergentes como o Brasil e Índia.

Quando o assunto é afinidade com os apps os brasileiros saem na frente. Uma pesquisa da Worldpay mostra que 78% dos que possuem smartphone preferem comprar pelo celular, ao invés de pagar usando os navegadores.

O número é maior que o indicador global, de 71%. Os brasileiros confiam mais nos apps e ainda pagam a mais por isso. Por aqui 53% dos consumidores não se preocupam com o preço maior de um produto, viagem ou serviço se a experiência do usuário for melhor. Já a média global é de apenas 41%.

Apesar da confiança ter aumentado, a segurança ainda segue como fator de preocupação dos brasileiros. Cerca de 76% dizem baixar apenas os aplicativos de empresas em que realmente confiam. A média global é inferior, de 71%. A preocupação com a proteção dos dados é uma das principais causas de abandono de compras.

O brasileiro é conhecido mundialmente pelo seu engajamento em ferramentas digitais de socialização, como Facebook, Instagram e afins. Essa participação é percebida também dentro das lojas de aplicativos, pelo hábito de avaliar e comentar sobre os aplicativos baixados. Oito em cada dez internautas brasileiros com smartphone afirmam que já avaliaram aplicativos nas lojas.

Considerando que há milhões de apps disponíveis nas lojas, as notas e os comentários do público podem ser um fator decisivo na escolha de um usuário sobre qual título baixar. No mercado brasileiro, esse fator ganha importância se lembrado que a maior parte do parque de aparelhos é composta por modelos Android com pouca memória, o que obriga as pessoas a desinstalarem apps antigos e pouco usados para conseguirem instalar novos.

A instalação e a desinstalação diária de apps é maior entre os jovens de 16 a 29 anos do que entre os demais grupos etários. E também é mais comum entre as pessoas das classes C, D e E e/ou com planos pré-pagos.

Vamos falar um pouco sobre o comando de voz. A tecnologia mais recente adotada pelos sistemas operacionais dos aparelhos são os assistentes pessoais virtuais que atendem por comando de voz. A pesquisa revela que 64% dos internautas brasileiros com smartphone declararam já terem usado esse recurso em seus aparelhos. O hábito é mais comum entre os jovens de 16 a 29 anos (70%). Também nota-se um interesse maior dos homens (68%) do que das mulheres (60%) por essa ferramenta.

A conclusão que se chega é que há um amplo mercado a ser explorado, desde a criação até a manutenção do que comporta a tecnologia. E sabemos que a tecnologia vai se expandir ainda mais.

O crescimento do smartphone como canal de entretenimento pago, com serviços de streaming de vídeo e de música, deve ser observado com atenção por produtores de conteúdo, assim como o interesse dos jovens pelo uso de comandos de voz deve ser analisado por marcas e desenvolvedores de apps em geral.

Fonte: Panorama Mobile Time/Opinion Box – Uso de apps no Brasil – Junho de 2018.
O USO DE APPS NO BRASIL

You May Also Like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *